UMA CONCEPÇÃO FETICHISTA(?) – NELMON J. SILVA JR.

UMA CONCEPÇÃO FETICHISTA(?)

A FETISHISTIC CONCEPTION(?)

SILVA JR., Nelmon J.1

RESUMO: Ensaio sobre a paternidade.

PALAVRAS-CHAVE: Casamento. Amor. Fetiche. Concepção.

ABSTRACT: Essay on fatherhood.

KEYWORDS: Marriage. Love. Fetish. Conception.

Parece-me crível que se o operador do Direito acaba por interferir, vez que (por vezes) regula as relações humanas, deve(ria) dedicar-se à busca do entendimento de conceitos basilares, como por exemplo: sexo, amor e fetiche. Perdoem-me aquele(a)s que sustentam que o amor e o sexo são o mesmo, ou minimamente, completam-se – sublinho tratar-se da visão essencialmente feminina e equivocada; ou ainda pior, tratar-se a concepção de uma criança num ato de amor.

Houellebecq bem descreve a antinomia entre amor e sexualidade: o sexo é uma necessidade absoluta, renunciar a ele é definhar, então o amor não pode florescer sem sexo; ao mesmo tempo, no entanto, o amor é impossível justamente por causa do sexo, que “prolifera como a epítome da dominação do capitalismo tardio, contaminando permanentemente as relações humanas sob a forma de reproduções inevitáveis da natureza desumana da sociedade liberal e arruinando, essencialmente, o amor.2, donde estribo minha discordância.

Sob minha óptica o casamento é prazeroso, desde que agraciado com o nascimento de nossos herdeiros – obviamente somente possível numa visão homofóbica. Digo dessa forma porque sabemos que, não raras a vezes, os pais ouvem de seus filhos que eles não entendem (ou concordam com) as relações tidas por nós e nossos genitores ou irmãos. Aqui reside a poética e ininteligível beleza do ato de poupá-los de suas “tóxicas” raízes.

Comungo do entendimento de que do ponto de vista do sujeito livre e autônomo, não haveria algo de “tóxico” na própria ideia de pai ou mãe, esse mediador parasitário que sujeita o sujeito à autoridade no próprio processo de estabelecê-lo como livre e autônomo? Se há uma lição clínica sobre a paternidade, é que não pode existir pai ou mãe limpos e não tóxico.3

Nessa esteira lógica do raciocínio, aliado à doutrina lacaniana de que o amor é dar o que não se tem4 (penso tratar-se de ato suficientemente capaz de diferenciar-nos das demais espécies do reino animal), em ultima ratio, a paternidade nada mais é do que uma opção fetichista, vez que o fetiche é a personificação da mentira que nos permite sustentar a verdade insuportável5. Melhor dizendo: o ato de conceber (necessariamente) o é um ato fetichista, ainda que inconscientemente desejável.

1ADVOGADO CRIMINAL ESPECIALISTA EM DIREITO (PROCESSUAL) PENAL, CIBERCRIMES E CONTRATERRORISMO; CIENTISTA E ESTUDIOSO DO DIREITO (PROCESSUAL) PENALCV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7382506870445908

1.MANTENEDOR DOS BLOGS CIENTÍFICOS: https://ensaiosjuridicos.wordpress.com http://propriedadeintelectuallivre.wordpress.com/.

2. CIENTISTA COLABORADOR: Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (Portal de e-governo – BR) Glocal University Network (IT) – Universiteit Leiden (ND) – University of Maryland (US) – Comissão Européia (Direcção-Geral de Pesquisa e Inovação – UE).

3. MEMBRO: Centro de Estudios de Justicia de las Américas (CEJA – AL); Instituto de Criminologia e Política Criminal (ICPC); Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (ABRACRIM); Associação dos Advogados Criminalistas do Paraná – (APACRIMI); International Criminal Law – (ICL – EUA); National Association of Criminal Defense Lawyers (EUA); The National Consortium for the Study of Terrorism and Resposes to Terrorism (START – EUA); e International Center to Counter-Terrorism – The hague (ICCT – HOL); World Intelectual Property Organization (WIPO – ONU).

4. MEMBRO FUNDADOR: Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifícios do Paraná/PR; e AINCOFAPAR (Conselheiro Jurídico), Associação Bragantina de Poetas e Escritores

5. COLABORADOR DAS SEGUINTES MÍDIAS: www.arcos.org.br www.conteudojuridico.com.br http://artigocientifico.uol.com.br http://www.academia.edu/http://pt.scribd.com/http://www.academicoo.com/ http://www.jusbrasil.com.br/http://pt.slideshare.net/http://www.freepdfz.com/, dentre outras.

6. AUTOR DOS SEGUINTES LIVROS CIENTÍFICOS: Fogos de Artifício e a Lei Penal (2012); Coletânea (2013); Propriedade Intelectual Livre (2013); e Cibercrime e Contraterrorismo (2014).

7. AUTOR DOS SEGUINTES LIVROS LITERÁRIOS: Valhala (1998); Nofretete (2001); e Copo Trincado (2002).

2HOUELLEBECQ, Michel. The Possibibty of an Island. Nova York Knopf, 2006 [ed. bras.: A possibilidade de uma ilha, São Paulo, Record, 2006].

3ZIZEK, Slavoj, Primeiro como tragédia, depois como farsa; tradução Maria Beatriz de Medina. – São Paulo : Boitempo , 201I. 

4LACAN, Jacques. Écrits. Nova York, Norton, 2006 [ed. bras.: Escritos, trad. Vera Ribeiro, Rio de Janeiro, Zahar, 1998].

5Óp. cit. 3.

Para acesso ao artigo (.PDF) click no link abaixo:

uma concepção fetichista-silva jr