O ATEÍSMO É VERBAL – NELMON J. SILVA JR.

 

ateismo

THE ATHEISM IS VERBALLY

SILVA JR., Nelmon J.1

RESUMO: Sobre o ateísmo.

PALAVRAS-CHAVE: Ciência. Método. Deus.

ABSTRACT: About the atheism.

KEYWORDS: Science. Method. God.

___________________________________________________________

Ciência (do latim scientia, traduzido por “conhecimento”) refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemáticos. Em sentido estrito, ciência refere-se ao sistema de adquirir conhecimento baseado no método científico bem como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de tais pesquisas. […] A etimologia da palavra ciência vem do latim scientia (“conhecimento”), o mesmo do verbo scire (“saber”) que designa a origem da faculdade mental do conhecimento.2 Conclui-se, portanto, que a palavra científico deriva de scientia (conhecimento) e ficus (fazer); ou seja: produção do(e) conhecimento.

Método, do grego antigo μέθοδος, transl. methodos, formado por μετά, μέt-, transl. metá, met-, ‘depois’ ou ‘que segue’ + οδός, transl. hodós, ‘caminho’, significa literalmente ‘seguir um caminho’ […] especialmente em epistemologia, o método delimita o modus de obtenção do conhecimento.3

Já o método científico refere-se a um aglomerado de regras básicas dos procedimentos que produzem o conhecimento científico, quer um novo conhecimento, quer uma correção (evolução) ou um aumento na área de incidência de conhecimentos anteriormente existentes. Na maioria das disciplinas científicas consiste em juntar evidências empíricas verificáveis baseadas na observação sistemática e controlada, geralmente resultantes de experiências ou pesquisa de campo – e analisá-las com o uso da lógica. Para muitos autores, o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência.4

Admitida a premissa de que o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência, eventual discussão sobre ateísmo5 doravante será insustentável; afinal parece-me contrário à lógica qualquer argumento quanto a possibilidade de descrer6 no inexiste. Explico melhor: não há descrença sem prévia crença; portanto (cientificamente) a existência de Deus é uma presunção absoluta.

Se convincentes foram os argumentos ora sustentados, proponho (como mero exercício lógico-pedagógico) a substituição dos verbos (des)crer por (des)acreditar, nos parágrafos antecedentes.7 Se realizado o exercício conforme proposto, conclui-se que o paradoxo8 relativo à existência divina reside apenas pelo fato dos verbos crer e acreditar serem (etimologicamente) antônimos, daí o porquê ser possível desacreditar numa eventual existência divina; nela descrer, jamais.

1ADVOGADO CRIMINAL ESPECIALISTA EM DIREITO (PROCESSUAL) PENAL, CIBERCRIMES E CONTRATERRORISMO; CIENTISTA E ESTUDIOSO DO DIREITO (PROCESSUAL) PENALCV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7382506870445908

1.MANTENEDOR DOS BLOGS CIENTÍFICOS: https://ensaiosjuridicos.wordpress.com http://propriedadeintelectuallivre.wordpress.com/ https://jusbarbarie.wordpress.com/.

2. CIENTISTA COLABORADOR: Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (Portal de e-governo – BR) Glocal University Network (IT) – Universiteit Leiden (ND) – University of Maryland (US) – Comissão Européia (Direcção-Geral de Pesquisa e Inovação – UE).

3. MEMBRO: Centro de Estudios de Justicia de las Américas (CEJA – AL); Instituto de Criminologia e Política Criminal (ICPC); Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (ABRACRIM); Associação dos Advogados Criminalistas do Paraná – (APACRIMI); International Criminal Law – (ICL – EUA); National Association of Criminal Defense Lawyers (EUA); The National Consortium for the Study of Terrorism and Resposes to Terrorism (START – EUA); e International Center to Counter-Terrorism – The hague (ICCT – HOL); World Intelectual Property Organization (WIPO – ONU).

4. MEMBRO FUNDADOR: Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifícios do Paraná/PR; e AINCOFAPAR (Conselheiro Jurídico), Associação Bragantina de Poetas e Escritores.

5. COLABORADOR DAS SEGUINTES MÍDIAS: www.arcos.org.br www.conteudojuridico.com.br http://artigocientifico.uol.com.br http://www.academia.edu/http://pt.scribd.com/http://www.academicoo.com/ http://www.jusbrasil.com.br/http://pt.slideshare.net/http://www.freepdfz.com/, dentre outras.

6. AUTOR DOS SEGUINTES LIVROS CIENTÍFICOS: Fogos de Artifício e a Lei Penal (2012); Coletânea (2013); Propriedade Intelectual Livre (2013); e Cibercrime e Contraterrorismo (2014).

7. AUTOR DOS SEGUINTES LIVROS LITERÁRIOS: Valhala (1998); Nofretete (2001); e Copo Trincado (2002).

2Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ci%C3%Aancia. Acesso em: 18.12.2016.

3Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9todo. Acesso em: 18.12.2016.

5Ateísmo, num sentido amplo, é a ausência de crença na existência de divindades. O ateísmo é oposto ao teísmo, que em sua forma mais geral é a crença de que existe ao menos uma divindade. […] No grego antigo, o adjetivo ἄθεος (transl.: atheos) é formado pelo prefixo a, significando “ausência” e o radical “teu”, derivado do grego theós, significando “deus”. O significado literal do termo é, então, “sem deus”.– Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ate%C3%Adsmo. Acesso em: 18.12.2016.

6Crença é o estado psicológico em que um indivíduo detém uma proposição ou premissa para a verdade, ou ainda, uma opinião formada ou convicção. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cren%C3%A7a. Acesso em: 18.12.2016.

7Crédito (do latim creditu) é a confiança que se tem em algo. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cr%C3%A9dito. Acesso em: 18.12.2016.

8Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira que leva a uma contradição lógica, ou a uma situação que contradiz a intuição comum. Em termos simples, um paradoxo é “o oposto do que alguém pensa ser a verdade” […] A palavra é composta do prefixo para-, que quer dizer “contrário a”, “alterado” ou “oposto de”, conjugada com o sufixo nominal doxa, que quer dizer opinião. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Paradoxo. Acesso em: 18.12.2016.

_______

 

PARA TER ACESSO AO ARTIGO (.pdf), CLIQUE SOB O LINK:

o-ateismo-eh-verbal