HERRAR É UMANO – NELMON J. SILVA JR.

 

erro

HERRAR É UMANO

HERROR IS UMAN


SILVA JR., Nelmon J.1

RESUMO: Retrospectiva 2016.

PALAVRAS-CHAVE: Crédito. Militar. Erro.

ABSTRACT: Retrospective 2016.

KEYWORDS: Credit. Military. Error.

______________________

   Segundo site oficial do Planalto, em 27.12.2016, foram promulgadas: Lei nº 13.405, de 26.12.2016 – abrindo crédito suplementar no valor de R$ 151.975.117,00 (cento e cinquenta e um milhões, novecentos e setenta e cinco mil cento e dezessete reais), em favor dos Ministérios da Justiça e da Defesa; Lei nº 13.404, de 22.12.2016 – crédito suplementar no valor de R$ 7.746.286.789,00 (sete bilhões, setecentos e quarenta e seis milhões, duzentos e oitenta e seis mil setecentos e oitenta e nove reais), em favor dos Ministérios da Fazenda, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, do Planejamento, Orçamento e Gestão e da Defesa; dentre outras.

   Anteriormente, em 22.12.2016, foram promulgadas: Lei nº 13.403, de 21.12.2016 – abre crédito especial no valor de R$ 31.768.764,00 (trinta e um milhões, setecentos e sessenta e oito mil setecentos e sessenta e quatro reais), em favor das Justiças Federal, Eleitoral e do Trabalho, e do Ministério Público da União; Lei nº 13.402, de 21.12.2016 – Crédito suplementar no valor de R$ 461.608.030,00 (quatrocentos e sessenta e um milhões, seiscentos e oito mil e trinta reais), em favor do Ministério da Educação; Lei nº 13.401, de 21.12.2016 – Crédito especial no valor de R$ 95.000.000.000,00 (noventa e cinco bilhões de reais), em favor de Encargos Financeiros da União; Lei nº 13.400, de 21.12.2016 – Crédito suplementar no valor de R$ 81.082.249,00 (oitenta e um milhões, oitenta e dois mil duzentos e quarenta e nove reais), em favor do Tribunal de Contas da União, do Supremo Tribunal Federal, das Justiças Federal e do Trabalho e do Ministério Público da União.

   Também foram promulgadas a Lei nº 13.399, de 21.12.2016 – que abriu crédito suplementar no valor de R$ 810.015.821,00 (oitocentos e dez milhões, quinze mil oitocentos e vinte e um reais), em favor dos Ministérios do Trabalho e Previdência Social, do Desenvolvimento Agrário e do Turismo; a Lei nº 13.398, de 21.12.2016 – crédito suplementar no valor de R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais), em favor do Ministério da Saúde; a Lei nº 13.396, de 21.12.2016 – crédito suplementar no valor de R$ 5.243.585,00 (cinco milhões, duzentos e quarenta e três mil quinhentos e oitenta e cinco reais), em favor do Ministério Público da União; dentre outras.

   E ainda, em 21.12.2016, foram promulgadas a Lei nº 13.391, de 20.12.2016 – crédito suplementar no valor de R$ 1.844.828.432,00 (um bilhão, oitocentos e quarenta e quatro milhões, oitocentos e vinte e oito mil quatrocentos e trinta e dois reais), em favor de Encargos Financeiros da União; a Lei nº 13.387, de 20.12.2016 – crédito suplementar no valor de R$ 2.200.033.393,00 (dois bilhões, duzentos milhões, trinta e três mil trezentos e noventa e três reais), em favor de Encargos Financeiros da União e de Operações Oficiais de Crédito; a Lei nº 13.388, de 20.12.2016 – crédito especial no valor de R$ 3.872.856,00 (três milhões, oitocentos e setenta e dois mil oitocentos e cinquenta e seis reais), em favor dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação, da Educação, da Justiça, do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; e a Lei nº 13.385, de 20.12.2016 – crédito suplementar no valor de R$ 2.342.113.924,00 (dois bilhões, trezentos e quarenta e dois milhões, cento e treze mil novecentos e vinte e quatro reais), em favor do Ministério da Justiça; dentre outras.

   Da análise dos dados conclui-se que próximos de R$ 100.000.000.000,00 (cem bilhões de reais), são destinados ao pagamento dos Encargos Financeiros da União e de Operações Oficiais de Crédito; mais de R$ 2.500.000.000,00 (dois bilhões e quinhentos milhões de reais) à Justiça; já com a Saúde são gastos R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais) e próximos de R$ 800.000.000,00 (oitocentos milhões de reais) com Educação, onde menos de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) são destinados à Ciência, Tecnologia, Inovação, Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

   Ora, não é preciso ter inteligência acima da média para entendermos que se o Governo Federal distribui menos de 1% (um por cento) de sua despesa – percebam que não falo em arrecadação – com Educação, que nesses passos, em curtíssimo espaço de tempo estará fadada à morte. Vejamos alguns fatos que contribuíram para vivermos essa asquerosa realidade: A Lava Jato vai revelando dois aspectos do estágio de desenvolvimento brasileiro. O primeiro, a corrupção endêmica e generalizada que foi apodrecendo o sistema político sem ser enfrentada por nenhum partido. Era o tema à vista de todos e há décadas percebido pela opinião pública, o único tema capaz de provocar a comoção geral.

O segundo, as indicações de que o país estava a caminho de se transformar em uma potência média, repetindo a trajetória de outras potências, inclusive no atropelo das boas normas. Como potência média, ainda não havia desenvolvido internamente legislações e regulamentos que disciplinassem o financiamento político, que blindassem as empresas que representassem o interesse nacional, os procedimentos que impedissem  que o combate à corrupção comprometesse setores da economia. Enfim, todo esse aparato jurídico-político com que as nações desenvolvidas desenvolvem e blindam suas empresas e até tratam com tolerância, criando uma zona de conforto para que possam pular os limites, nos casos de ampliação do chamado poder nacional. […] Por outro lado, desenvolvia-se uma indústria de defesa autônoma, com absorção de tecnologias avançadas e inúmeras possibilidades abertas com a quase consolidação dos BRICS e das parcerias com a China e seus bancos de desenvolvimento. Avançava-se nos submarinos, nos satélites e na informática. Com a descoberta do pré-sal, o país se projetava como um dos futuros grandes produtores de energia, desenvolvendo paralelamente uma indústria naval potente e uma grande cadeia de fornecedores para as mais diversas necessidades, de máquinas, equipamentos, caldeiraria a sistemas informatizados de ponta. Nascia uma nova potência. Mas havia uma pedra no meio do caminho: a falta de foco interno sobre o chamado interesse nacional e uma corrupção generalizada na política. Em cima dessa vulnerabilidade, desse calcanhar de Aquiles, o Reino foi buscar seus campeões, os candidatos a Paris, os jovens mancebos do Ministério Público Federal capazes de, a pretexto do combate à corrupção, liquidar com as pretensões nacionais. É assim que se inicia nossa história.2

   Isso porque, além de detalhar os principais aspectos da questão á luz da Constituição Federal, da Lei Orgânica da Magistratura e da legislação brasileira em vigor, Sílvio Ferreira da Rocha fez uma longa, didática e significativa exposição dos princípios de Bangalore acerca da conduta judicial. Reproduzirei aqui alguns fragmentos para discutir o assunto à luz da tática da ruptura.

Acerca da imparcialidade, estabelecem os princípios de Bangalore: A imparcialidade é essencial para o apropriado cumprimento dos deveres do cargo de juiz. Aplica-se não somente à decisão, mas também ao processo de tomada de decisão. Os comentários são enriquecedores. Acerca da percepção da imparcialidade afirma, por exemplo: a imparcialidade é a qualidade fundamental requerida de um juiz e o principal atributo do Judiciário. A imparcialidade deve existir tanto como uma questão de fato como uma questão de razoável percepção (g.n.).Se a parcialidade é razoavelmente percebida, essa percepção provavelmente deixará um senso de pesar e de injustiça realizados destruindo, consequentemente, a confiança no sistema judicial. A percepção de imparcialidade é medida pelos padrões de um observador razoável. A percepção de que o juiz não é imparcial pode surgir de diversos modos, por exemplo, da percepção de um conflito de interesses, do comportamento do juiz na corte, ou das associações e atividades do juiz fora dela.” (O caso Lula”, editora Astrea, São Paulo, 2017, p. 173)3

   Ou para melhor entender, Em um reino distante chamado Brasilguai, nos limites entre um Brasil que já era e simulando um Paraguai que já foi, a realidade é envolta em manchetes feéricas e em redes sociais onde borbulham babas de ira e sangue, compondo o cenário em que as mais altas autoridades disputam os clicks da turba e as dobras do poder.

É o pessoal da corte, do país improdutivo que vive em uma estufa onde são cultivadas as intrigas, os jogos de lisonja e de poder, um mundo invertebrado, em que as carreiras são construídas por artimanhas, puxadas de tapete e de saco, palco de cenas desse nível: A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) brada: “Onde um juiz é destratado, eu também sou” (https://goo.gl/rC9FJd). Recebe 1.450 cliques no Facebook. O Procurador Geral da República adapta o brado: “Atacar um procurador é atacar todo o Ministério Público”, e corre a se informar sobre a quantidade de cliques que a frase irá merecer. O decano, que não é de ferro, aproveita e se exibe em um self em um shopping da moda, sabendo que o discurso anticorrupção é o creme de leite que, com sua densidade, disfarça qualquer massa de má consistência. Não se sabe se o presidente do Senado aproveitou o mote e bradou: “Quem ataca um senador, ataca o Senado”. Se não gritou, pensou. Se pensou e não realizou, perdeu o direito aos clicks. E, como a realidade virtual não está sujeita às limitações enfadonhas da realidade, o Ministro da Justiça declara seu modesto plano de ação: erradicar toda a maconha do continente. A julgar pelos selfies que tirou no Paraguai, desbastando uma a uma as mudas de cannabis. Repetindo o que disse a Comissão de Ética da Presidência: “cala-te, Magda!”.4

   Vivemos momentos bizarros, onde parte do povo blasfemou sob o timbre estridente de panelas (muitas, inclusive, mal lavadas) contra o ex-Presidente Lula (líder mundialmente reconhecido pela transformação do Brasil em país emergente), em insano apoio à deposição da Presidente da República (sublinho que de forma covarde, ilegal e arbitrária, sem oportunizá-la qualquer garantia ao Devido Processo Legal ou ao Contraditório), democraticamente eleita pela maioria de nosso povo , o que deveria ser motivo de (mínima) vergonha a todos os patrícios. Dispensadas são quaisquer discussões acadêmicas para entendermos o que tem ocorrido no período pós-Dilma, através da releitura das palavras do ex-Ministro Eugênio José Guilherme de Aragão, fica claro que prender determinada pessoa para obter “delação” assemelha-se à prática do crime de extorsão (para não dizer tortura); se a Operação Lava Jato recuperou cerca de R$ 2.000.000.000,00 (dois bilhões de reais), trouxe como reflexos nefastos pela demissão de mais de 150.000 (cento e cinquenta mil) empregados da construção civil, além da quebra da indústria naval nacional, o que sequer há como compensá-los (um pelo outro); somos contra a corrupção, mas nós não queremos destruir um País por causa de uma causa; nós não queremos simplesmente jogar um bebê fora junto com a água suja do banho; muitas vezes a Lava Jato me parece aquela atitude de você querer desbaratear (matar as baratas) com o lança chamas, botar fogo na casa.5

   Mais às claras, escreveu o ex-Ministro, em carta aberta ao calouro colega, o Procurador Federal Deltan Dallagnol: Acabo de ler por blogs de gente séria que você estaria a chamar atenção, no seu perfil de Facebook, de quem “veste a camisa do complexo de vira-lata”, de que seria “possível um Brasil diferente” e de que a hora seria agora. Achei oportuno escrever-lhe está carta pública, para que nossa sociedade saiba que, no ministério público, há quem não bata palmas para suas exibições de falta de modéstia.

[…] Você à frente de sua turma vão entrar na história como quem contribuiu decisivamente para o atraso econômico e político que fatalmente se abaterão sobre nós. E sabem por que? Porque são ignorantes e não conseguem enxergar que o princípio fiat iustitia et pereat mundus nunca foi aceita por sociedade sadia qualquer neste mundão de Deus. Summum jus, summa iniuria, já diziam os romanos: querer impor sua concepção pessoal de justiça a ferro e fogo leva fatalmente à destruição, à comoção e à própria injustiça.E o que vocês conseguiram de útil neste País para acharem que podem inaugurar um “outro Brasil”, que seja, quiçá, melhor do que o vivíamos? Vocês conseguiram agradar ao irmão do norte que faturará bilhões de nossa combalida economia e conseguiram tirar do mercado global altamente competitivo da construção civil de grandes obras de infraestrutura as empresas nacionais. Tio Sam agradece. […] Vangloriam-se de terem trazido de volta míseros dois bilhões em recursos supostamente desviados por práticas empresariais e políticas corruptas. E qual o estrago que provocaram para lograr essa casquinha? Por baixo, um prejuízo de 100 bilhões e mais de um milhão de empregos riscados do mapa. Afundaram nosso esforço de propiciar conteúdo tecnológico nacional na extração petrolífera, derreteram a recém reconstruída indústria naval brasileira. Claro, não são seus empregos que correm riscos.67

   Teoria(s) da conspiração deixada(s) à parte, não é crível que algum patrício possa lucidamente alegar desconhecimento quanto aos motivos reais da crise, desconsiderando a cobiça dos Estados Unidos da América, pelo patrimônio nacional. Como todos sabemos a Petrobras era a quinta maior empresa do mundo antes do golpe de Estado; e infelizmente hoje é alvo de descrédito mundial.

   Ilustrativas e bastante reveladoras são as fontes: https://www.youtube.com/watch?v=ZWre2OsXAfY; https://www.youtube.com/watch?v=TK_DokcFwsw; https://www.youtube.com/watch?v=TK_DokcFwsw; https://www.youtube.com/watch?v=DaW2CYAaBtI; https://www.youtube.com/watch?v=Uq-h35N_a_Y; https://www.youtube.com/watch?v=WLfivUzCFmM; https://www.youtube.com/watch?v=JJ_6BOTbtTE; https://www.youtube.com/watch?v=rsQv6iKxdfA; https://www.youtube.com/watch?v=EfRpyhTnH-Q; dentre inúmeras outras igualmente citáveis.

   Inconteste é o interesse estadunidense no patrimônio nacional, afinal somente a exploração dos recursos do pré-sal renderia à Nação algo em torno de oitenta trilhões de dólares americanos; além do valor agregado pelas tecnologias dos biocombustíveis desenvolvidas pela Petrobras, e da indústria militar (especialmente porque somos membro dos BRICS, onde a Rússia representa a segunda maior potência militar do planeta, seguida pela China na terceira posição, e o Brasil em sexto lugar8).

   Fechar os olhos ante ao imperialismo estadunidense beira à leviandade ou demência, haja visto que em 05.08.2009, foi noticiado que o General James Jones, assessor de segurança nacional de Obama para assuntos de segurança nacional propôs ao Brasil uma “parceria estratégica”, onde os Estados Unidos participariam da exploração do pré-sal, e o Brasil compraria lá as armas que desejasse ter, inclusive com transferência de tecnologia.9

   Em 2008, o ex-Presidente Lula fechou um acordo ousado com a França para a compra, com transferência total de tecnologia, de quatro submarinos, sendo um deles nuclear (ProSub – Programa de Desenvolvimento de Submarinos), cujas obras para construção dos complexos navais e estaleiros seriam realizadas pela Odebrecht, alvo da operação Lava Jato10; e não por coincidência o deputado Sibá Machado (PT), em 30.10.2015, denunciou o Boicote da CIA ao programa nuclear brasileiro.11 Ora, não me parece ser difícil entender as reais intenções/objetivos da operação Lava jato, desacreditar a imagem do ex-Presidente Lula, afastar a então Presidente Dilma, para que o vice-Presidente Temer assuma o poder, para desativar o programa ProSub, afastar o Brasil dos BRICS, e vender o direito de exploração do pré-sal e das exclusivas tecnologias energéticas desenvolvidas pela Petrobras.12

   Há ainda os descrentes dessa realidade imposta pelos governos de extrema direita (como o de FHC), à exemplo do caso de privatização da Vale do Rio Doce.13 Parece-me bastante lógico que os EUA estejam por trás da crise criminosamente instalada no Brasil e sustentada pela farsa da operação Lava Jatos, sob o argumento do combate à corrupção.14 Para nossa plena infelicidade, patrícios alienados foram usados como massa de manobra a serviço desse ilegítimo Governo posto, que atenta contra os interesses nacionais ao vender as riquezas pátrias, sem nenhuma barreira enfrentar.15

   Aos ignorantes patrícios que (absurda e irracionalmente) defendem eventual intervenção militar no momento, lembro que Os protestos de 15 de março, direcionados principalmente contra o governo federal e a presidente Dilma Rousseff, indicaram a insatisfação de parte da população com os casos de corrupção envolvendo partidos políticos, empresas públicas e empresas privadas. Algumas pessoas, inclusive, chegaram a pedir uma intervenção militar, alegando que essa seria a solução para o fim da corrupção. Mas será que nesse período a corrupção realmente não fazia parte da esfera política? Apesar da blindagem proporcionada pelas restrições ao Legislativo, Judiciário e imprensa, ainda assim a ditadura não passou imune a diversas denúncias de corrupção16; assim inicia o artigo Conheça dez histórias de corrupção durante a ditadura militar17, cuja leitura faz-se obrigatória a qualquer patriota.

   Para por fim à discussão quanto a possibilidade de intervenção militar lembro que no regime militar apesar de inicialmente parecer haver acertado a economia nacional, em contrário, gerou e elevou exponencialmente a dívida externa (paga somente na gestão Lula), por incompetência exclusiva dos vaidosos militares, os quais jamais fizeram o ajuste fiscal necessário no início dos anos 80, deixando essa herança aos Governos futuros; além de aumentar a concentração da renda no país numa proporção desumana, afora as torturas praticadas naquele momento histórico, e por todos (mundialmente) reconhecidas.18

   Em suma, desde sempre a Nação tem sido governada por traidores da Pátria, quer militares, quer políticos (representados sempre pelas extremas-direitas), sendo que tivemos a real possibilidade de desenvolvimento e independência, somente quando exercida a governabilidade pelos governos Lula e Dilma, o que justifica a eterna perseguição ao Partido dos Trabalhadores e seu fundador. Já diziam os mais velhos: errar é humano, insistir no erro burrice, portanto não podemos mais permitir a insana adjetivação a que nos submetem os reais traidores do Brasil; chamo a atenção à óbvia (e necessária) reflexão: Não há governança corrupta numa sociedade honesta.19

_______

1ADVOGADO CRIMINAL ESPECIALISTA EM DIREITO (PROCESSUAL) PENAL, CIBERCRIMES E CONTRATERRORISMO; CIENTISTA E ESTUDIOSO DO DIREITO (PROCESSUAL) PENALCV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7382506870445908

1.MANTENEDOR DOS BLOGS CIENTÍFICOS: https://ensaiosjuridicos.wordpress.com http://propriedadeintelectuallivre.wordpress.com/ https://jusbarbarie.wordpress.com/.

2. CIENTISTA COLABORADOR: Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (Portal de e-governo – BR) Glocal University Network (IT) – Universiteit Leiden (ND) – University of Maryland (US) – Comissão Européia (Direcção-Geral de Pesquisa e Inovação – UE).

3. MEMBRO: Centro de Estudios de Justicia de las Américas (CEJA – AL); Instituto de Criminologia e Política Criminal (ICPC); Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (ABRACRIM); Associação dos Advogados Criminalistas do Paraná – (APACRIMI); International Criminal Law – (ICL – EUA); National Association of Criminal Defense Lawyers (EUA); The National Consortium for the Study of Terrorism and Resposes to Terrorism (START – EUA); e International Center to Counter-Terrorism – The hague (ICCT – HOL); World Intelectual Property Organization (WIPO – ONU).

4. MEMBRO FUNDADOR: Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifícios do Paraná/PR; e AINCOFAPAR (Conselheiro Jurídico), Associação Bragantina de Poetas e Escritores.

5. COLABORADOR DAS SEGUINTES MÍDIAS: www.arcos.org.br www.conteudojuridico.com.br http://artigocientifico.uol.com.br http://www.academia.edu/http://pt.scribd.com/http://www.academicoo.com/ http://www.jusbrasil.com.br/http://pt.slideshare.net/http://www.freepdfz.com/, dentre outras.

6. AUTOR DOS SEGUINTES LIVROS CIENTÍFICOS: Fogos de Artifício e a Lei Penal (2012); Coletânea (2013); Propriedade Intelectual Livre (2013); e Cibercrime e Contraterrorismo (2014).

7. AUTOR DOS SEGUINTES LIVROS LITERÁRIOS: Valhala (1998); Nofretete (2001); e Copo Trincado (2002).

2Fonte: http://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-de-como-o-mpf-tornou-se-uma-forca-antinacional. Acesso em: 30.12.2016.

3Fonte: http://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/jacques-verges-e-a-autodestruicao-da-imparcialidade-do-juiz-por-fabio-de-oliveira-ribeiro. Acesso em 30.12.2016.

4Fonte: http://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-da-tacada-final-do-golpe-da-constituinte. Acesso em: 30.12.2016.

5Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=I6VeCJPy_14. Acesso em: 30.12.2016.

6Fonte: https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/12/25/7815/. Acesso em: 30.12.2016.

7Fontes recomendadas: https://www.youtube.com/watch?v=b6rXml4-6Lk; https://www.youtube.com/watch?v=QwAx6hgSRaM; https://www.youtube.com/watch?v=CUQdxXtyl5g; https://www.youtube.com/watch?v=74K5xkW8CPc; https://www.youtube.com/watch?v=O46Et15JV-0; https://www.youtube.com/watch?v=YyalNrb8pxQ; https://www.youtube.com/watch?v=AHawP624hu8; https://www.youtube.com/watch?v=5Qi3Sk9WIcA; https://www.youtube.com/watch?v=lWsaZDKXQqI; https://www.youtube.com/watch?v=mHTaOD4Dmto; https://www.youtube.com/watch?v=KtDhZ7pZjYE; https://www.youtube.com/watch?v=PxYhddTYTAM; https://www.youtube.com/watch?v=lkqDxf16YFE.

8Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=-y3U0kLlXGc. Aceso em: 31.12.2016.

9Fonte: http://g1.globo.com/jornaldaglobo/0,,MUL1256487-16021,00-ENTREVISTA+EXCLUSIVA+DO+GENERAL+JAMES+JONES+ASSESSOR+DE+SEGURANCA+NACIONAL+.html. Acesso em:01.01.2017.

10Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=bQYHgqSbJ_w. Acesso em: 31.12.2016.

11Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=17SIuaVw4fA. Acesso em: 31.12.2016.

12Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=o60vLmOXnwE. Acesso em: 31.12.2016.

13Fontes: https://www.youtube.com/watch?v=UWrbudr_jC0; https://www.youtube.com/watch?v=S7tHLzOCXQA. Acesso em: 31.12.2016.

14Fontes: https://www.youtube.com/watch?v=S7tHLzOCXQA; https://www.youtube.com/watch?v=byKV87ZsXpc; https://www.youtube.com/watch?v=tkYATwjAwJk. Acesso em: 31.12.016.

15Fontes: https://www.youtube.com/watch?v=eh69RxXiqpc; https://www.youtube.com/watch?v=dGFmMygrzuQ; https://www.youtube.com/watch?v=YzbeGa22BbM; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/12/16/grave-denuncia/; https://www.youtube.com/watch?v=cyaKJgOCXmg; https://www.conversaafiada.com.br/politica/obama-esta-na-lava-jato; https://www.youtube.com/watch?v=HLahUo12Yxk. Acesso em: 01.01.2017.

16Fontes: http://www.controversia.com.br/blog/2016/07/19/conheca-dez-historias-de-corrupcao-durante-a-ditadura-militar/. https://www.youtube.com/watch?v=F4nNg-wpq3c. Acesso em: 31.12.2016.

17Fonte: http://www.controversia.com.br/blog/2016/07/19/conheca-dez-historias-de-corrupcao-durante-a-ditadura-militar/. Acesso em: 31.12.2016.

18Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=AKomtoVyG4Q. Acesso em: 01.01.2017.

19Fontes recomendadas: https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/04/02/ad-argumentandum-tantum-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/04/11/advocatus-est-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/03/20/2419/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2014/12/31/alice-no-pais-das-maravilhas-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/06/01/americanizado-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/12/16/7747/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/10/22/7304/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/06/21/5441/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2015/07/24/delenda-est-tolerare-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/08/29/desamor-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/04/10/egocentrismo-licito-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/12/10/entrega-a-jatp-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/06/21/evolucao-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/04/19/f-t-w-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/05/17/o-engodo-dum-vice-presidente-e-mais-de-quarenta-ladroes-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2015/07/31/o-sexo-transcendental-praticado-pelo-comunista-liberal-e-sua-intima-identificacao-a-magistratura-conivente-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/12/02/pantomima-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/04/16/papagaios-de-pirata-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/10/06/polissemia-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/08/23/6512/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/09/05/quem-voce-pensa-que-e-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/03/22/sera-que-papai-noel-e-comunista-nelmon-j-silva-jr/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/05/28/4315/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/04/22/3675/; https://ensaiosjuridicos.wordpress.com/2016/04/04/voce-e-um-idiota-nelmon-j-silva-jr/. Acesso em: 01.01.2017.

_______

PARA TER ACESSO AO ARTIGO (.pdf), CLIQUE SOB O LINK:

errar-e-humano